#2 Wishlist de aniversário / 30 anos

bdaylist 3 final

Olá seres humanos, humanoides, híbridos e extraterrestres! Tudo bem?

Dia 30, a titia aqui faz 30! Gente, quando foi que a vida começou a andar em modo acelerado? Até ontem eu era uma menina-molecada-sapeca brincando descalça na rua sem asfalto, lá nos confins da Vila Industrial, fundão da zona leste de São Paulo.

E hoje eu tô aqui, prestes a fazer 3 décadas de vida, e me sentindo mais menina-moleca-sapeca que nunca, mesmo sem brincar mais descalça na rua sem asfalto nos confins da Vila Industrial, no fundão da zona lesta de São Paulo.

O motivo do meu post é pra dizer que eu poderia estar roubando, poderia estar matando, mas não, venho aqui humildemente pedir pro Cosmos um presentinho de aniversário. Sabe como é, né! Tive uma infância humilde, brincando descalça na rua sem asfalto, nos confins… 😉

Vamos a lista de desejos de aniversário number 30:

  1. Cadeira Eames DAR balanço
  2. Pop Funko Harry Potter 
  3. Infusor Yellow Submarine 
  4. Torradeira Darth Vader 
  5. Sapatos Lita Spike 
  6. Vitrola Crosley Cruiser 
  7. Cabide Hang It All Eames 
  8. Penteadeira
  9. Tatuagem planisfério 
  10. Batedeira rosa Cadense 

Advertisements

Colonia del Sacramento – Uruguay

Bicicleta Colonia do Sacramento

Feliz Ano Novo seres humanos, humanoides, híbridos e extraterrestres! Tudo bem?

Eu defini que 2015 seria o ano de “colecionar momentos, e não coisas”. Foi bom demais terminar o ano sabendo que eu tinha conseguido que assim fosse. Empolgada, defini que 2016 seria ano de “realizar sonhos”. E nem precisa me conhecer muito pra saber que o meu maior sonho é viajar, conhecer, explorar, wanderlustizar, e coisa e tal.

Meu papá veio nos visitar e propôs algo que há muito tempo eu vinha procrastinando: conhecer Colônia do Sacramento no Uruguai. Pra quem não sabe, eu moro em Buenos Aires na Argentina, e o Uruguay tá logo alí, do outro lado do rio de La Plata. Sinceramente, nem sei por qual razão eu demorei tanto pra cruzar o Plata, pois cada minuto nessa pitoresca cidade valeu demais!

Nos viajamos com a empresa Buquebus, num barco rápido que cruza o rio em apenas 1 hora. Chegamos a Colonia del Sacramento ás 9:00hs da manhã de uma sexta-feira. O tempo estava perfeito, um dia nublado e com carinha de chuva, (amo), apesar de que já no final do dia o Sol tenha aparecido com tudo.

O casco histórico da cidade é pequeno, lindo, limpo e conservado. Com o dia cinza, as ruas e a arquitetura ganharam um ar nostálgico e bucólico encantador! Apesar da cidade ser bem pequena, decidimos alugar um carro elétrico que nos facilitou muito a vida. Pudemos passear e conhecer bastante cada cantinho.

Comemos extremamente bem (saudades, parrillada do El Portón), tomamos vinhos de excelente qualidade, e o ponto alto do passeio foi quando, depois de almoçar e ficar jogando conversa fora na pracinha do lado do restaurante, decidimos voltar pro casco histórico e nos sentamos num resto/bar aleatório, só pra tomar mais vinho, e jogar mais conversa fora. Meu filhote já estava um pouco cansado e irritado.  O amabilíssimo garçom, chamado Martín teve a brilhante ideia de trazer pão numa cestinha para que o Shai jogasse pros passarinhos. Meu pequeno ficou encantado e maravilhado, todo rodeado de pequenos pássaros. Fez amizade com todos que trabalhavam lá. Chegou um momento em que ele já sabia o caminho até a cozinha, e a cada 10 minutos ia pedir mais pão pra alimentar os passarinhos na praça. Nesse lugar, sobretudo, ficou confirmada a fama da hospitalidade dos uruguaios. O restaurante se chama CasaGrande by Koka´s, e funciona desde 1777 em pleno coração do casco histórico da cidade.

Foi um dia pra guardar num frasquinho de tão lindo e agradável. Antes de sair, eu olhei pra trás e pensei: “até logo, Colonia”.

Desfrutem algumas fotos desse dia:

Arquitetuta Colonia Uruguay

Pier Colonia Rio de la Plata

265

Calle de los Suspiros

Carrinho amarelo

Colonia Uruguay

Estación 2

Estación de tren

lampada 2

Colonia del Sacramento

lampadas

Los suspiros Colonia

Rua dos Suspiros Colonia

10 razões para amar os homens argentinos

poster 2

Olá seres humanos, humanoides, híbridos e extraterrestres! Tudo bem?

Eu sou suspeita pra falar, porque né, eu me casei com um argentino! Resolvi listar as 10 principais razões pra você dar bola pros argentinos nas suas próximas férias passeando por aqui!

Desfrute | Disfrutalo | Enjoy 

1 ) Os argentinos são românticos: Não poderia faltar romantismo na terra do Tango, não é mesmo? Se você já teve o prazer de sair com um argentino, deve ter reparado o quanto eles são românticos, e não esperam brotar a paixão para tal. É muito comum eles levarem flores no primeiro encontro e continuar abrindo a porta do carro, puxando a cadeira não só no primeiro encontro, mas para sempre! Te olham nos olhos com ternura, elogiam coisas como o seu sorriso e o seu olhar. Simplesmente não dá pra resistir. Até me casei com um! ❤

2) Homens argentinos cozinham: No Brasil, os únicos dois homens que eu conheço e que cozinham são o meu pai e meu padrasto. Nunca tive um namorado brasileiro que soubesse fritar um ovo que seja. Aqui na Argentina é muito comum que os homens sejam “os donos da cozinha”. Conheço muitos homens que cozinham variados tipos de pratos, e sem falar nos churrascos que eles são capazes de promover. Eles vão fazer questão de cozinhar o seu prato preferido. Dizem as más línguas que meu marido me ganhou pelo estômago, pois ele cozinha horrores! Amém.

3) Eles são artísticos: Não é raro encontrar homens com inclinações artísticas. Além de serem extremamente musicais, seja cantando, tocando em alguma banda de “garagem” (ou não), eles “pintam, bordam e sapateiam”. Tem os que dançam horrores, seja Tango ou qualquer tipo de dança. Tem os que escreve poesias e contos. Não importa o tipo de arte, sempre vai ter um argentino no meio e misturado!

4) Eles são apaixonados: Os argentinos são apaixonados incuráveis. Eles fazem tudo com paixão. TUDO! Torcem pro seu time de coração com uma paixão indescritível. Ir á um show aqui na Argentina é se arrepiar do começo ao fim, não existe público mais apaixonado! E não poderia ser diferente nas relações amorosas. É pura paixão e, se somar amor, case-se, gata!

5) Eles limpam a casa: Aqui não tem esse papo de que os afazeres domésticos é coisa de mulher não. Os homens vão pra labuta do lar tanto quanto a mulher. Aqui em casa só ele lava roupa, por exemplo! Acho lindo colocar música no último volume enquanto cada um se encarrega de limpar uma parte da casa. Terminamos mais rápido e todos ficamos felizes!

6) Eles são MUITO charmosos!: Não tem jeito, os argentinos têm o poder de serem extremamente charmosos. Não importa se são bonitos ou não, charmosos eles sempre serão. Fumantes geralmente me incomodam, mas até pra fumar eles têm um charme especial. A forma com que eles cruzam as pernas, como falam, riem, olham… Já reparou que o Carlitos Tevez, considerado um cara feio baseado nos padrões sociais tem um puta charme? Reparem!

7) Levam a vida leve: Apesar de serem completamente dramáticos, pode até parecer contradição, mas eles levam a vida de forma mais leve. O trabalho é mero detalhe da vida e não a vida inteira. Qualidade de vida é chave por aqui!

8) Eles falam espanhol: Lógico! Disso ninguém duvidava, porque né, eles são argentinos! Eu não sei vocês, mas escutar esse idioma deixa tudo mais lindo. É sensual, romântico e muitas vezes pode ser bem engraçado também. Quando eles começam com: “Hola mi vida, sos la más hermosa! Te amo hasta el infinito”. Nessa hora você nem termina de escutar a frase, porque certamente estará MORTA…de amor!

9) Eles AMAM brasileiras: Os homens argentinos têm um enorme fascínio por mulheres brasileiras. Eles nos acham divertidas, alegres, sensuais e exóticas. Nas épocas áureas da economia argentina onde os argentinos passavam seus verões no Brasil, o que não falta são senhores saudosos e apaixonados até hoje pelas suas musas das praias brasucas.

10) Choque cultural:  Mesmo que Brasil e Argentina sejam países muito parecidos em vários aspectos culturais, as diferenças se acentuam na convivência. Em princípio, pode ser que ocorram alguns desentendimentos, mas depois de feitos os devidos esclarecimentos começam as risadas! Dizer que o seu cabelo está embaraçado vai render boas gargalhadas (espanhol: embarazada = grávida) ou chamar alguém de “tarado” (espanhol: tarado/a = imbecil, idiota, etc). O simples uso da palavra “correr” soa exatamente como “coger”, que significa “pegar”, mas que na Argentina é uma palavra vulgar pra dizer “transar”. Depois de várias gafes você desencana e a vida se torna mais divertida!

***

Você já ficou/namorou/casou com um homem argentino? Se sim, está de acordo com a lista? Acrescentaria ou tiraria algo? E se nunca se relacionou com um homen argentino, o que é que você está esperando, gata?

Beijocas,

Lilix Lilix

O que você tem contra a solidão?

Parque Zoológico de Boituva/ SP - Dezembro de 2014

Olá seres humanos, humanoides, híbridos e extraterrestres! Tudo bem?

Estou muito contente porque no momento estou Recalculando a minha Rota. Isso mesmo! Como assim? Eu explico! A linda dos olhos de piscina, a Alana Trauczynski autora do livro Recalculando a Rota criou um programa de mesmo nome que, segundo a própria, é “um programa de autoconhecimento e recauchutagem geral de você mesmo!”. Tive a imensa alegria de ganhar uma bolsa pra participar e desde semana passada quando iniciamos a primeira atividade proposta pela Alana, tenho experimentado dificuldades de encontrar meus momentos de solidão para efetuar as propostas de forma mais proveitosa, o que me levou ás seguintes reflexões:

Eu amo a boa companhia de pessoas queridas, mas assim como preciso da companhia delas, eu também preciso de momentos de solidão. Eu amo a solidão. É só nela e com ela que me encontro, que entro no meu eixo, que me estimulo e que tenho tempo e espaço para pensar e refletir. Quando não tenho meus momentos de solidão eu desvio, eu sou água parada, estancada e lodosa. Mas quando eu consigo estabelecer momentos de solidão, meus pensamentos são claros e límpidos como a água corrente de um rio. Eu simplesmente preciso da solidão para viver de forma saudável. Enfatizo: não é opção, é uma questão de necessidade.

“Só quando estou sozinha me sinto totalmente livre. Reencontro-me comigo mesma e isso é agradável e reparador. É certo que, por inércia, quanto menos só se está, mais difícil é ficá-lo. Mesmo assim, em uma sociedade que obriga a ser enormemente dependente do que é externo, os espaços de solidão representam a única possibilidade se fazer contato novamente consigo. É um movimento de contração necessário para recuperar o equilíbrio” Mireia Darder, autora do livro Nascidas para o Prazer (Ed. Rigden, não publicado em português).

Desde muito nova, sempre me perguntei porque as pessoas escapam da solidão como se estivessem escapando do matadouro. Eu entendo que existem fatores sócio-culturais onde o sociabilizar é tão imposto e comemorado que quase não nos sobra tempo pra tão necessária solidão. Mas o equilíbrio é e sempre foi o melhor caminho, portanto, permita-se esses momentos tão importantes com você mesmo. Eu entendo também que todos levamos cargas emocionais que sempre evitamos “visitar”, e que talvez, virão á tona se estamos sozinhos. É doloroso, mas superar é libertador! Mas pra superar você tem que entender, e pra chegar ao entendimento você precisa estar sozinho. Tente, não dói tanto, talvez no começo, mas depois é uma delícia.

Não confunda solidão com estar sozinho. Ser solitário não significa estar aberto para desfrutar da solidão. Muitas pessoas passam o tempo todo cercadas de pessoas ao redor, e quando não as têm, procuram desesperadas por algum tipo de entretenimento para preencherem suas cabeças. Eu não tenho dúvidas de que de forma consciente ou não, essas pessoas só estão tentando escapar delas mesmas. Se elas soubessem que os momentos de introspecção são necessários e podem ser tão prazerosos quanto os momentos de interação com outros indivíduos ou artefatos, não perderiam mais tempo escapando delas mesmas.

A solidão possibilita a criatividade e a reflexão que gera autoconhecimento. O silêncio não é ausência de som, é música!  

Penso que desfrutar da solidão seja algo característico da personalidade de cada indivíduo, apesar de ter certeza que seja absolutamente adaptável á vida de pessoas cuja a solidão não é tão bem vinda, mas que reconhecem nela o caminho pra se auto-visitar.

“Para mim a solidão representa a oportunidade de revisar nosso gerenciamento, de projetar o futuro e avaliar a qualidade dos vínculos que construímos. É um espaço para executar uma auditoria existencial e perguntar o que é essencial para nós, além das exigências do ambiente social” Francesc Torralba, filósofo e autor de A Arte de Ficar Só (Ed. Milenio).

Quando você gosta da sua própria companhia (por mais difícil que ela possa ser algumas vezes) você não dependerá mais da companhia de outras pessoas, se são pessoa queridas, estar com elas será uma OPÇÃO, porém jamais uma NECESSIDADE.

***

Um pouco sobre minha própria experiência:

Sempre fui alvo de pré-conceitos. Passei a minha infância e parte da minha vida adulta sendo rotulada como antipática, metida, e muitos outros adjetivos do gênero. Levei anos até perceber que me sinto verdadeiramente confortável para dizer a essas pessoas que não sou e nunca fui antipática, eu simplesmente não te acho tão interessante para gastar a minha energia contigo. Pode soar arrogante e, talvez seja, mas as pessoas extrovertidas precisam simplesmente parar de exigir que pessoas introvertidas acompanhem a sua necessidade de interagir. Não confundam introversão com timidez, pois são coisas completamente diferentes. Eu sempre fui introvertida e não tímida. Não confundam solidão com isolamento. Sempre gostei demais da solidão, mas nunca me isolei. É claro que nem sempre fui bem resolvida nesse aspecto. Eu me esforçava bastante para me inserir nos grupos e atividades sociais, mas gastava tanta energia que terminava esgotada. É libertador não sentir a necessidade de ter que cumprir com as exigências de interação social desenfreada que minam o meu estoque de energia e fazem com que eu me sinta tudo, menos eu mesma. 

Vou exemplificar: sempre fui ao cinema sozinha porque adoro. Isso não quer dizer que nunca vou ou fui ao cinema com alguém. Se tenho uma boa companhia que valha á pena eu me privar da minha amada solidão, esse ser será muito bem vindo, caso contrário, não abro mão de ir sozinha. O mesmo vale pra sair pra comer, viajar, ou fazer qualquer atividade.

Uma das poucas vezes na vida que frequentei a academia, o instrutor me sugeriu como tom de pena que eu deveria ir no horário que outras meninas frequentavam, assim eu teria companhia pros meus exercícios. Eu achei a dica valiosíssima simplesmente pelo fato de que á partir daquele momento comecei a evitar ao máximo os horários das tais companhias. Sofri com isso inúmeras vezes na escola primária e no ginásio. As aulas me exigiam demasiada interação, e quando eu adoraria passar os intervalos sozinha, ao invés disso eu era cercada de pessoas que tinham fobia só de imaginar que eu poderia estar sozinha por falta de opção, e corriam a fazer-me companhia. Era legal quando eu desejava essa companhia, mas a maioria das vezes eu só queria estar sozinha mesmo. Repito: não é que eu não desfrute de boas companhias, é só o fato de eu me sentir muito bem sozinha, e de opinar que a maior parte das atividades são bastante íntimas e que exigem muita concentração, então porque raios eu gostaria de ter a companhia de outras pessoas pra isso? As companhias são opções e não necessidades! 

Há alguns meses eu assisti a palestra da Susan Cain no TED, e me senti absolutamente identificada. Pra assistir, clique aqui.

**Quem se interessou pela proposta da autora Alana Trauczynski, segura a onda que o próximo post aqui no blog será sobre o Recalculando a Rota.

E você, o que pensa da solidão? Desfruta ou foge dela? Me conta?

Beijocas,

Lilix.

10 vantagens de trabalhar em casa | Home Office‏

Home Office 1

Olá seres humanos, humanoides, híbridos e extraterrestres! Tudo bem?

Antes mesmo de saber com o que eu gostaria de trabalhar, eu sempre soube de duas coisas fundamentais: 1° que seria uma trabalhadora autônoma, independente de chefes, e 2° que trabalharia no conforto do meu lar.

Há mais ou menos um ano consegui cumprir essa meta e decidi listar as 10 vantagens que encontrei nessa linda experiência. É claro que existem desvantagens, mas isso é assunto pra outro post.

Desfrute | Disfrutalo | Enjoy 

1) Não enfrentar trânsito: Se tem algo que todo mundo odeia é perder tempo no trânsito. É muito bom saber que não preciso perder horas dentro de um carro ou de transporte público pra poder ir e voltar do trabalho.

2) Tempo flexível:  Você não gostaria de determinar seu próprio horário de trabalho? Eu organizo meu tempo de acordo ás minhas necessidades. Se sei que a tarde tenho que sair, começo um pouco mais cedo do que o normal, ou trabalho até um pouco mais tarde. Assim de simples.
 
3) Trabalhar de pijama: Quem trabalha fora enfrenta dois problemas no quesito “vestimenta”. Nem sempre dá pra vestir algo super confortável, daí você tem que optar pelo “bem vestido e/ou “apresentável” (dependendo do seu grau de importância com o tema). A outra merda é quando você tem que usar uniforme. Há um ano eu trabalho de pijamas ou roupas extremamente confortáveis. No pé é chinelo ou pantufa. Não existe aquele problema de repetir roupas, porque né?!…Tô em casa!
 
4) Comer em casa: O fator alimentação é sempre um inconveniente quando se trabalha fora. Ter que comer na rua todos os dias é foda. Mesmo pra quem leva marmita (muito comum aqui na Argentina) ter 1 hora de almoço não é legal. Comer em casa além de mais econômico é mais saudável. Geralmente eu estou sozinha em casa na hora do almoço, então preparo algo rapidinho ou como o que sobrou do jantar sem culpa.
 
5) Passar mais tempo com seres queridos: Trabalhar em casa te dá a possibilidade de conviver mais tempo com quem você gosta. Seja seus filhos, marido/mulher, cachorro, gatos, periquito. Eu amo trabalhar e ver meu menino correr prá lá e pra cá,  poder trabalhar com minha gata no colo ou parar pra tomar café da tarde com a família reunida na mesa.
 
6) Fatores climáticos: Por mais que você ame o verão, ninguém merece ir trabalhar com um calor dos infernos. Nem preciso comentar o caos filho da puta quando o dia está chuvoso né, ou seja, não importa o tipo de clima, se tem carro ou se locomove em transporte público, você sempre vai se foder. Não me preocupo mais com isso, se chove eu desligo a música pra desfrutar do barulhinho que tanto gosto, ou se o dia está ensolarado abro a janela e deixo o Sol entrar, lá lá lá.
7) Economizar uma graninha: Quando você trabalha fora gasta com refeições, lanchinho, passagens, gasolina, happy hour, roupas, sapatos, etc. Trabalhando em casa você economiza em tudo isso!
 
8) Privacidade/Trabalhar muito á vontade: Mesmo que você trabalhe numa empresa muito cool, com ótimo clima e pessoas bem legais, eu garanto que você não tem liberdade pra fazer o que te der na telha, na hora que te der na telha. Eu paro pra preparar café, escuto a mesma música 10 mil vezes em volume alto, se quero silêncio desligo o som. Coloco os pés sobre a mesa sem correr o risco de soar grosseira, vou ao banheiro sem constrangimento algum, algumas vezes meu escritório fica bem bagunçado quando não tô afim de arrumar e, adivinha só? Tá tudo bem com isso!
 
9) Acordar um pouco mais tarde: Esse é o sonho de 10 entre 10 trabalhadores. O amado “só mais 5 minutinhos” pode se converter em horas, duvida? Só pra dar um exemplo, eu entrava no trampo ás 9hs, mas pra chegar lá esse horário eu tinha que acordar ás 6:30hs. Sim, eu ganhei mais de 2 horas de sono diário. Amor eterno á todos os deuses da preguicinha matutina.
10) Decorar seu escritório: Ok, é bem verdade que nem todo mundo se importa com isso, mas eu juro que é maravilhoso poder decorar o seu cantinho de trabalho como você mais gosta e te inspira.
***
Alguém aí que trabalha Home Office, está de acordo com algum desses tópicos? Ou se trabalha fora, quais desses tópicos gostaria de aplicar na sua vida?
Besos,
Lilix

Minhas impressões: Notebook Samsung Ativ Book 2.6

Antes de começar, quero elucidar que esse não é um post com teor técnico se trata única e exclusivamente da minha experiência com um mês de uso do Samsung Ativ Book 2.6.

Samsung Ativ Book 2 I

Eu trabalho com Internet e preciso que a máquina seja rápida para navegar sem problemas. Como (também) produzo conteúdo de imagens de alta resolução, priorizei uma memória que fosse suportar essa carga de arquivos sem prejudicar o desempenho da máquina, e procurei escolher uma marca conceituada no mercado, e logo de pesquisar bastante em fóruns me decidi pela Samsung.
Samsung Ativ Book 2 II
Avaliando o tipo de uso que daria ao notebook, defini que minhas prioridades eram: 1) velocidade, 2) memória, 3) qualidade.
Samsung Ativ Book 2 VI
Tem dúvidas para decidir o tipo de computador ideal para você? Antes de comprar baseado na marca, cor, estilo, o que raios seja, você deve pensar no tipo de uso que você pretende dar á máquina, por exemplo: você só usa para navegar, ou também trabalha com o pc? Costuma editar vídeos? Enfim, tudo isso você tem que levar em consideração antes de escolher o modelo ideal.
Samsung Ativ Book 2 III
Chega de  blábláblá e vamos ás minhas impressões depois de 1 mês de uso. O notebook Samsung Ativ Book 2 é bom? Eu gostei muito do desempenho desse notebook,  era justamente o que eu estava necessitando, então a minha avaliação é: POSITIVA.
Samsung Ativ Book 2 IV
___________________________________________________________________________
Prós x Contras:
PRÓS:
  • Rápido (Intel Core i5 é vento no cabelo num conversível a 120km/hora)
  • Design clean e atraente (gamei)
  • Memória ótima (1TB dá pra guardar coisa pra caralho caramba)
  • Teclado numeral do lado direito (me super ajuda)
  • Windows 8.1 (muita gente torce o nariz, mas eu adoro e acho que o desktop fica super organizadinho)
  • Cor branca (particularmente adoro eletrônicos brancos)
CONTRAS:
  • Eu achei que o plástico que reveste a “carcaça” é meio fraquinho (tive uma péssima experiência com um CCE e tô traumatizada)
  • Mancha com facilidade (se escolher o preto não terá esse problema, ok!)
  • Não curti que o cabo da bateria seja preto, já que o notebook é branco. (Achei que estéticamente falando ficaria melhor se os cabos fossem brancos também.)
***
Especificações:
Marca: Samsung
Modelo: Ativ Book 2.6 270E5G-KD2
Processador: Intel Core i5
Sistema Operativo: Windows 8.1
Memória: 8GB
HD: 1TB
LCD: 15.6″
***
Samsung Ativ Book 2 V
Espero ter ajudado, e se alguém tiver algo a mais para incluir, me avise que faço um “update”!
Besos

Projeto: 30 antes dos 30

Dias desses foi o meu aniversário, e a parte mais legal de fazer 29 anos foi elaborar esse projeto/desafio. Como comentei nesse post, tenho 365 dias pra tentar realizar uma série de coisas maravilhosas antes dos 30.

Um ano para colecionar momentos, e não coisas.

30 antes dos 30 FB1

_________________________________________________<3 ____________________________________________

A LISTA

  1. Chegar aos 59kg
  2. Começar a usar creme “anti-idade”
  3. Ler “A Mulher de 30 Anos” (Balzac)
  4. Escrever meu livro
  5. Viajar sozinha um fim de semana
  6. Mudar o layout do blog
  7. Produzir conteúdo pra subir no canal do Youtube
  8. Aprender a fazer drinks
  9. Sair um fim de semana pra encher a cara com o Nica
  10. Abandonar um livro que adoro em algum lugar público pra que alguém o encontre
  11. Frequentar a academia por no mínimo 6 meses
  12. Mandar uma carta pra alguém
  13. Fazer um Picnic com as amigas
  14. Comprar uma DSLR
  15. Fazer um “Night Movie” em casa
  16. Transformar o pátio de casa em jardim
  17. Gravar as canções que compus
  18. Colocar Monroe piercing
  19. Doar sangue
  20. Fazer um home office lindo/confortável/inspirador pra trabalhar (FEITO)
  21. Fazer um jantar temático para os amigos
  22. Renovar meu guarda roupas
  23. Fazer duas sessões de fotos (uma comum, e outra a la “Suicide Girls“)
  24. Fazer um balanço pro Shai
  25. Aprender a tirar cartas/tarô
  26. Fazer 3 tatuagens
  27. Cortar o cabelo “bobcut”
  28. Doar meu cabelo pra meninas com câncer
  29. Tingir os cabelos de verde/azul/rosa
  30. Fazer uma grande festa pra comemorar a chegada dos 30

***

Eu volto dentro de um ano para acompanhar, e espero riscar muitos itens dessa lista.

Besos.